Equipe do Estadão é premiada no Latinoamericano de Periodismo

terrabrutaestadaoA reportagem especial Terra Bruta, do Estadão, ficou em segundo lugar no Prêmio Latinoamericano de Periodismo de Investigación, da ONG Transparência Internacional e do Instituto Prensa y Sociedad (Ipys).

Fruto de sete meses de investigação, o trabalho produzido por André Borges, Leonêncio Nossa, Dida Sampaio, Helvio Romero, Luciana Garbin, Fábio Salles e Everton de Oliveira revelou a existência de uma rede criminosa dedicada ao tráfico de madeira e terras no Norte e Centro-Oeste do Brasil. Pela conquista, a equipe recebeu a quantia de U$ 10 mil.

Na primeira colocação ficou a mexicana Laura Castellanos, com a reportagem Fueron los Federales, veiculada no portal Aristegui Noticias e na revista Proceso. O trabalho questionou a versão oficial de uma chacina em Apatzingán, no México, quando 16 pessoas foram mortas em um suposto fogo cruzado, e provou que, na realidade, os autores dos disparos eram policiais, com apoio militar. Em terceiro lugar, ficou a equipe do Ojo Público de Perú, pelo especial Memoria Robada.

O concurso também concedeu menções honrosas, entre elas para a reportagem Odebrecht pagou obras em sítio de Lula, de autoria de Flavio Machado, para a Folha de S.Paulo.

Integraram o júri desta edição, que teve 266 trabalhos inscritos, o brasileiro Fernando Rodrigues, o argentino Santiago O’ Donnell, a costarriquenha Giannina Segnini, a norte-americana Lise Olsen e o venezuelano Ewald Scharfenberg.

Deixe uma resposta

*