Miriam Leitão é a mais premiada jornalista da história

Primeira a ultrapassar a barreira dos mil pontos, Miriam lidera a edição 2016 do Ranking J&Cia com 100 pontos de vantagem sobre Eliane Brum, a vice-campeã em premiações jornalísticas do País

MiriamLeitaoCom os 40 pontos conquistados em 2015, vindos do prêmio Comunique-se e de ajustes de pontuação em prêmios anteriores, Miriam Leitão ultrapassou a barreira dos três dígitos, cravando 1.005 pontos no Ranking Jornalistas&Cia dos +Premiados Jornalistas da História.

Ela manteve o posto alcançado em 2014, quando, com 965 pontos, dividiu com José Hamilton Ribeiro a liderança, sendo este declarado Líder Hors Concours em 2015 pelo Conselho Consultivo do certame. Desse modo, Zé Hamilton passou a ser o patrono do Ranking e a fonte de inspiração do projeto, deixando de figurar na classificação geral.

Mineira de Caratinga, Miriam tem números que só ajudam a comprovar sua reconhecida, admirada e vitoriosa carreira. Dentre as iniciativas avaliadas por este levantamento, foram 29 prêmios conquistados em 45 anos de carreira, que, somados, lhe renderam aqueles 1.005 pontos. Para se ter uma ideia deste feito, até o Ranking 2014 apenas 31 veículos em todo o Brasil haviam superado essa marca.

Adicionem-se a esses reconhecimentos diversas outras homenagens conquistadas ao longo de sua atividade profissional, e que não integram a base do Ranking, entre eles os prêmios especiais Jornalismo para Tolerância, entregue em 2003 pela Federação Internacional de Jornalistas; Jornalismo Econômico, concedido em 2007 pela Ordem dos Economistas do Brasil; e, mais recentemente, sua eleição por dois anos consecutivos entre os 10 +Admirados Jornalistas Brasileiros, pesquisa promovida por Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress.

Líder da primeira edição do Ranking J&Cia dos +Premiados Jornalistas da História, publicada em 2011, a gaúcha Eliane Brum é a vice-líder com 905 pontos. Repórter freelancer e colunista do site do El País, Eliane vem dedicando boa parte de sua carreira nos últimos anos às atualizações de seu blog, Desacontecimentos, e à participação e criação de projetos literários, entre eles o recente Meus desacontecimentos – A história da minha vida com as palavras (LeYa), de 2014, quinto livro mais vendido na última edição da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip.

AnuncioPremioAbrafarma850x110_V2

A partir do 3º lugar, esta edição do Ranking registrou algumas trocas importantes de posições, como Mauri König, que ultrapassou Caco Barcellos e assumiu a 3ª colocação, com 817,5 pontos, apenas 5 à frente do repórter especial da TV Globo, que terminou o levantamento com 812,5 pontos. Outra mudança ocorreu entre Cid Martins, agora na 5ª posição, com 782,5 pontos, e João Antônio Barros, 6º, com 722,5 pontos. Também inverteram as posições Giovani Grizotti, que saltou para o 7º lugar, com 682,5 pontos, e Carlos Wagner, que terminou em 8º, empatado com Marcelo Canellas, ambos com 662,5 pontos. Dimmi Amora, com 657,5 pontos, completa os Top 10, na 10ª posição.

A seguir, do 11º ao 20º lugar, vêm Clóvis Rossi (11º – 600 pontos); André Trigueiro (12º – 570 pontos); Domingos Peixoto (13º – 560 pontos); Gilberto Dimenstein (14º – 545 pontos); Fernando Rodrigues (15º – 517,5 pontos); Humberto Trezzi (16º – 495 pontos); Mônica Bergamo (17º – 492,5 pontos); Nilson Mariano (18º – 470 pontos); Ricardo Boechat (19º – 462,5 pontos); e Domingos Meirelles (20º – 460 pontos).

Confira a relação com os Top 250 Mais Premiados Jornalistas Brasileiros da História:

JornalistasMaisPremiadosHistoria

Deixe uma resposta

*