Paulo Campo Grande vence AEA de Meio Ambiente

Edson Orikassa (AEA) e Paulo Campo Grande

A Associação de Engenharia Automotiva premiou em 7/6 os vencedores do Prêmio AEA de Meio Ambiente 2017. Em sua décima edição, o concurso teve 49 trabalhos inscritos em suas quatro categorias, entre elas a Jornalística (as outras três foram Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social e Tecnologia).

Com Bem-vindo ao futuro, reportagem especial publicada na edição 689 da revista Quatro Rodas, de novembro de 2016, Paulo Campo Grande faturou o prêmio principal entre os trabalhos jornalísticos. Ainda nessa categoria, foram duas menções honrosas: uma para Joel Leite, da Autoinforme, por O país do carro e outra para Gustavo Henrique Ruffo, para a Motor Chase, por A apresentação de uma ideia por meio do Riversimple Rasa.

O trabalho vencedor apresentou um veículo experimental desenvolvido pela Schaeffler, da Alemanha, basicamente uma bicicleta de quatro rodas com propulsão híbrida (elétrica e humana, a pedal). “Trata-se de uma proposta de veículo para transporte individual nos grandes centros urbanos, ocupando pouco espaço e sem emissões”, explica Paulo. “Para produzir esse trabalho, experimentei esse veículo nas ciclovias de Londres, cidade pioneira nesse tipo de mobilidade. Foi surpreendente o quanto me senti seguro andando com aquele veículo no meio do trânsito londrino, incluindo os ônibus de dois andares, sem também despertar qualquer estranhamento nos outros condutores”.

Vencedor do SAE de Jornalismo em 2013, esta é a primeira vez que ele leva o AEA. “Estou muito orgulhoso pelo resultado. Queria agradecer à AEA, os jurados, patrocinadores e apoiadores do prêmio. Nós, que gostamos de automóveis e motores, sempre ficamos com a sensação de que estão tirando o nosso brinquedo quando alguém apresenta uma nova tecnologia, como um carro elétrico, por exemplo. Mas, precisamos reconhecer os problemas que o excesso de veículos causa para a mobilidade e para o meio ambiente e, como jornalistas, devemos apoiar e divulgar as propostas de soluções para eles“.

Deixe uma resposta

*