Rosental Calmon Alves vence o Maria Moors Cabot

A Universidade de Columbia anunciou nesta quarta-feira (20/7) os ganhadores do Maria Moors Cabot 2016. Entre os homenageados desta edição está o brasileiro Rosental Calmon Alves, ex-diretor do Jornal do Brasil e fundador e diretor do Centro Knight para Jornalismo nas Américas, da Universidade do Texas.

Criado em 1938, o MMC é uma das mais tradicionais e antigas premiações de Jornalismo nas Américas, e reconhece anualmente profissionais que se destaquem na integração e entendimento da região por meio de seus trabalhos. Rosental será o 35º brasileiro premiado, em uma história que começou em 1941, com Paulo Bittencourt e Sylvia Bittencourt, do extinto Correio da Manhã, e que nos últimos anos reconheceu, entre outros, os trabalhos de Lucas Mendes (2015), Mauri König (2013), José Hamilton Ribeiro (2006), Miriam Leitão (2005) e Clovis Rossi (2001).

“Alves é um verdadeiro líder em inovação em um cenário de mudanças na mídia, tendo contribuído significantemente para uma nova geração de jornalistas nas Américas”, destacou o comunicado oficial da Columbia University.

Além dele, serão homenageados na cerimônia deste ano, o fotógrafo da Associated Press Rodrigo Abd, dos EUA, a produtora e documentarista colombiana Margarita Martínez e o repórter do site El Faro, de El Salvador, Óscar Martínez.

“Desde que troquei as redações no Rio de Janeiro pela sala de aula em Austin, 20 anos atrás, fiz o meu melhor para contribuir e melhorar a qualidade do jornalismo no Hemisfério Ocidental”, destacou Rosental. “É maravilhoso ver esse esforço reconhecido. Eu agradeço o conselho do prêmio e a Universidade de Columbia por isso”.

Pela premiação, receberá ainda a pontuação máxima de 100 pontos na edição de 2016 do Ranking dos +Premiados da Imprensa.

 

RosentalCalmonAlvesSobre Rosental Calmon Alves – Nascido no Rio de Janeiro em 1952, formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Começou a carreira em 1968, como estagiário de O Jornal, dos Diários Associados. Foi repórter das rádios Tupi e Nacional e da revista IstoÉ. Aos 21, já atuava como professor de Jornalismo e em 1973 entrou para o Jornal do Brasil, onde permaneceu por 23 anos, atuando como repórter, redator, editor, correspondente e diretor. Desde 1996 integra Cátedra John S. and James L. Knight em Jornalismo da Universidade do Texas.

1 comments

Deixe uma resposta

*